Crônica “primária” de um Churrascão diferenciado

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Puta que pariu / É a elite/ Mais tosca do Brasil !!

O verso acima era declamado por mais de mil pessoas que se espremiam diante do shopping  no meio da tarde de um sábado nublado – e esfriando – depois do sol que dera palhinha por volta das 12 horas, quando cheguei ao local do Churrascão da Gente Diferenciada e não encontrei ninguém que me parecesse que participaria de algo assim tão “popular”.

No boulevard que precede os corredores tomados por brilhos, luzes, cheiros e sons que embriagam o endinheirado consumidor do asséptico e verdejante bairro paulistano de Higienópolis para depois depená-lo, senhores maduros, gordos e engravatados riem em duas, três mesas, fazendo-me pensar por que estariam vestidos assim num sábado. Outras mesas eram ocupadas por casais, senhoras e até crianças e adolescentes, mas os maduros predominavam.

Olho para um lado, para o outro, e nada. Ninguém diferenciado. Eram todos iguais na cor da pele, nos perfumes fortes, na aparência bem-nutrida, enfim. Não posso negar que, por alguns momentos, senti-me em Paris. Lembrei-me de um café em Saint Germains des Pres…

Pensei na internet. Deve ter informação. Só que não uso esses telefones que, além de tudo, fazem até chamadas e nos quais se pode navegar na rede. Mas estava em um shopping e todo shopping tem lan-houses… Certo? Errado. Nesse não tem. E por que teria, ora, se todos, ali, andam pelos corredores do shopping e nas ruas olhando seus aparelhinhos mágicos?

Contudo, estava na República de Higienópolis e, ali, até os balcões de informações são… diferenciados – ou seriam iguais aos dos países que aquele bairro-estado emula? Enfim, sei que a garota me disse que NÃO havia lan-houses no shopping ou naquela região (?!), mas que a uns MIL metros dali, na rua Maria Antonia, encontraria. E imprimiu o mapa para mim (!).

É um bairro mais igual, entendem? É o contrário do conceito de “diferenciado”.

Fui até lá e, assim que entro no Twitter, o Luis Nassif me manda uma mensagem dizendo que estava ali “com as menininhas” e doido pra comer churrasco, mas não tinha nada. Deixo-lhe uma mensagem pedindo que me ligue. Ele liga e diz que tem compromisso, lamentando não ter encontrado o churrasco.

Penso que está na hora de voltar. Ficarei até duas e meia e, se não aparecer ninguém, vou ao Sujinho comer bisteca de boi e tomar uma cachacinha Seleta, que as mais famosas não cabem no meu bolso. Saio a passos largos, já suando e maldizendo o blazer que vesti no começo da manhã, quando fazia frio e saí de casa para ir ao Churrascão.

Alvíssaras!, tem gente lá na frente falando com a imprensa. Estão ao lado de um carro da RedeTV! Aproximo-me e algumas pessoas vêm falar comigo. Alguns membros do Movimento dos Sem Mídia, leitores que conheço e várias pessoas simpáticas que não conhecia. A maioria, porém, não conheço. Todos ainda muito tímidos. Eu, inclusive.

Fiquei pensando, naquele momento: como faremos isso aqui? Esse pessoal tão… civilizado e fleumático vai se “horrorizar”.

Ando entre os grupos de pessoas conversando. Vai chegando cada vez mais gente. Uma rede de tevê me pára e pede para dar entrevista, como fazia sem parar. Não guardei o nome porque o afluxo crescente de pessoas começou a surpreender. Daqui a pouco chegam a Band e o SBT. Já havia quase umas duzentas pessoas, no local.

Aí a polícia apareceu, bem como o CET. Chegam manifestantes, chega polícia, chega imprensa… E vão chegando.

Mas os grupos de pessoas só dão entrevista e mais entrevista. Ouço um engraçadinho que não quis se misturar dizer que tinha mais jornalista que manifestante. O sangue sobe. Vou ao centro dos manifestantes e grito: Quem quer metrô, aqui?! Aquela massa crescente acorda e brada: Nós! E fica esperando eu dizer mais.

As câmeras se voltam e começo a discursar, com as mãos ao lado da boca numa tentativa de amplificar a voz. Surpreendentemente, ecoou forte. A repórter enfia o microfone na cara e começa a fazer perguntas que respondo não para ela, mas para as pessoas, que assoviam, gritam frases bem-humoradas.

Paro de falar e a manifestação amaina. Em alguns segundos, porém, mais alguém começa a falar. Daí chega o humorista Celso Mim com um capacete de obras “reprimindo” a manifestação como se fosse um funcionário do metrô, dando bronca nos manifestantes. Alguns parecem acreditar, de início.

Quando os discursos e palavras de ordem já proliferavam, ouve-se a batucada lá longe, mas avançando pela avenida Higienópolis. Parecia que jogavam confete. Sambavam, cantavam. Um dos cânticos era mais ou menos assim, se me lembro:

Se esta rua fosse minha / Eu mandava ladrilhar / Com Pedrinhas de Brilhante / Para o meu metrô passar

Alguém aparece com churrasco. Agora está cheio de jovens bem-humorados. Maduros, idosos e até crianças diferenciados. Somos muitos. A avenida Higienópolis está tomada. Não passam mais carros. Das imensas sacadas dos prédios, moradores do bairro, imóveis e aparentemente em silêncio, observam a tudo.

Passo a me esgueirar entre a multidão. Encontro gente que conheço e que não conheço e me conhece e eis que, de repente, vejo, diante de mim, dois colunistas da Folha de São Paulo.

São Fernando de Barros e Silva e Sergio Malbergier, aquele que andou escrevendo sobre o direito dos ricos de não quererem metrô na porta deles. Abro-lhes um sorriso como se fossem velhos amigos e, para minha surpresa, percebo que me reconhecem, apesar de jamais termos nos visto pessoalmente.

— Eu conheeeço você – digo a Barros e Silva, em tom jocoso –, e você também – estendo o cumprimento a Malbergier.

Digo que li o texto de Malbergier e que estava “um primor”. Ele sorri, simpático, como se não ligasse para a ironia. Barros e Silva, porém, fecha a cara, aproxima-se e diz:

— Olha, eu respeito você, Eduardo, mas as suas posições são primárias…

Respondo:

— Eu acredito que você pensa assim, mas não são as minhas posições que são primárias, são as suas que são muito avançadas, próprias para Londres, Paris, Amsterdam…

Barros e Silva franze ainda mais o cenho, percebo os dentes trincando, dá-me as costas, empina o queixo e diz, sem se voltar: “Está vendo como você é primário?”. E sai andando.

Comento com Malbergier: “Ele está zangado, né?”. E ele, sorridente: “Está zangado”.

Bato no braço dele, despedindo-me, e dizendo que acho positivo que tenham ido até lá. E caio no meio da galera.

Dali, a manifestação começa a se mover com batucadas e jovens à frente. Avançam em direção à avenida Angélica. Dobram à direita e começam a subi-la. Ocupam as duas pistas. Olho para a avenida e, diante de nós, está vazia de veículos até onde a vista enxerga. Nos prédios em volta as pessoas se debruçam nas janelas e sacadas. Policiais e agentes da CET parecem nervosos…

Peço ao comandante da operação que me diga o número estimado de manifestantes. Ele tasca 600. Digo que ele só pode estar brincando. Havia mais de mil pessoas fácil, ali. Saio meio zangado, batendo o pé, e nem agradeço. Depois reflito que o oficial não teve culpa. Estava cumprindo ordens.

Vejam o que acham

Enfim, foi mágico para este coração cinqüentão de um homem que cresceu em um país em que fazer um ato daquele significava ser espancado e até preso e torturado, quando não assassinado. E o mais lindo foi ver os jovens exigindo direitos, pregando igualdade com calma, bom humor, pacificamente.

Pena que a grande imprensa não contará direito o que aconteceu em São Paulo nesta tarde fria de maio, mas a internet contará a verdade. Fotos, vídeos e relatos, não faltarão. Não carecia, portanto, que me prendesse a isso. Queria passar ao meu leitor as “primárias” impressões deste “primário” blogueiro sobre essa incrível festa da democracia.

—–

Abaixo, um dos primeiros vídeos. Só pra dar gostinho na sua boca, leitor.

Tags: , , , , , , ,

229 Comentário

  1. Eu sou uma cidadã paulistana diferenciada que anda no sofrível transporte público de sampa. O protesto foi uma linda demonstração de solidariedade, inteligência e força. Lindo demais!!

    • Muito bacana ver outros segmentos da sociedade brasileira começando a fazer protestos para defender direitos coletivos ou da cidadania.

      Parece que o brasileiro comum, cidadão desvinculado de partidos políticos, centrais sindicais ou dos movimentos sociais organizados também tomou gosto pelas manifestações públicas e o Movimento dos Sem Mídia foi um dos primeiros a iniciar esse tipo de protesto cívico desde 2007.

      O MSM começou de uma interação entre internautas na blogosfera que não se conformavam com o bombardeio midiático que a imprensa conservadora fazia contra o PT, o Presidente Lula e os interesses da maioria dos brasileiros.

      Realmente, o poder de repercussão e mobilização da internet é algo impressionante, é um novo canal que abre e permite uma nova forma de participação social e popular na existência do nosso país, estados e cidades.

  2. Agora os políticos vão ficar espertos, pois os jovens estão pegando o gostinho para protestar…Nem que tenha ocorrido apenas pelo humor, pela brincadeira.. Serviu de exemplo para muitas categorias como a dos professores e demais funcionários públicos que buscam união e adesão nas lutas do dia-a-dia e muitas vezes não atingem o objetivo.

  3. Excelente crônica. Com a emergência da nova classe média os “caboclos querendo ser ingleses” que forma nossa anacrônica elite terão mais e mais que conviver com gente diferenciada. Na classe média, agregados ao mercado que consome, gente diferenciada finalmente poderá ser ouvida para mostrar seus valores de tolerância, integração e solidariedade. No melhor estilo da tão celebrada – mas ainda não vigente – democracia racial brasileira. Sim, cidadãos da dita elite, vocês terão que conviver dando ouvidos a “esta raça diferenciada”. Para arrepio dos pruridos eugenistas de muitos!!!

  4. Edu, apesar de estar em Uberaba – MG na terra do Zebu, e não comer nenhuma espécie de carne, adoraria ai estar com esta turma e levar um queijo e um pão de alho pra assar. Mas aqui estamos produzindo vida com a Universidade Popular Jvenal Arduini, instituição sem fins lucrativos parceira das Madres da Plaza de Mayo. Pode ter certeza que este movimento pró metrô foi um sucesso, e fico imaginando se não fosse primário. Abração e quando tiver um tempo acesse http://jorgebichuetti.blogspot.com/ pois neste blog do Dr. Jorge Bichuetti que é diretor clinico da Fundação Gregório Baremblitt que cuida de pessoas com transtorno mental e militante da Luta Antimanicomial faz as chamadas da UPOP-JA

  5. Concordo contigo e vou além da minha análise inicial. Você e muitos outros engajados no MSM, ao entrarem na política, teriam o movimento destruído e desacreditado. Sabe por quê? Uma vez filiado em qualquer que seja o Partido, a opinião será sempre a decisão majoritária e o partido teria o cuidado de ser pragmático, haja vista o receio que eles têm da imprensa.

    Em se falando de imprensa, agora vocês não podem ser destruídos, mas se estiverem lá, serão pela imprensa, pois teriam enxurradas e mais enxurradas de reportagens contra vocês, sejam elas falsas ou verdadeiras.

    Quando o carinha da Folha diz que você é primária, na minha opinião ele não está expressando uma opinião pessoal, ele pode muito bem, está expressando a opinião de um grupo, o qual o jornal dele representa. Ora, se você está a incomodar este grupo, você acha realmente que eles não tentariam de alguma forma te ferrar, como fazem com Lula hodiernamente?

    Hoje eles não podem te acusar, mas uma vez político, poderiam acabar com você com reportagens maldosas de sempre para que a sua voz e de quem você representa sejm desacreditadas.

    Um partido político tem sua corrente ideológica, seja ele qual for. Quantas vezes há um grupo dentro do PT que são chamados de cão, porque querem uma mudança mais intensa no país e tem um outro grupo contrapondo. O que foi que aconteceu com o PT? O mensalão. O que aconteceu com os candidatos do PT à época da eleição em SP? O suposto flagrante dos dólares na cueca.

    O pragmatismo do PT é irritante, até mesmo em quem não é filiado, como eu, mas por outro lado eu compreendo. Se o PT não fosse pragmático e Lula não tivesse o carisma que tem e as mudanças sociais que estão ocorrendo, a imprensa e as elites deste país já os tinham mandado para as cucuias há muito tempo.

    Dentro da conjuntura como está construída a política, e economia e o social no país, com o grupo de famílias dominando a imprensa e o repúdio dessa mídia a qualquer coisa que venha desse movimento social que surge a partir do próprio povo, a tentativa de destruir reputações, pessoas e movimentos serão recorrentes.

    Como há uma desvantagem, mas é necessário que se diga que há avanços, mas é preciso continuar lutando para conquistar espaços. Acredito que o seu lugar, dentro dessa realidade brasileira, é fazer avançar a participação popular nesses movimentos, os quais, sua voz e de muitos outros têm peso. Você em qualquer partido teria opiniões tolhidas por conta do pragmatismo. Você na internet expressa sua opinião e ajuda a mudar a forma de pensar, agir e sentir daqueles que estão ligados. É um movimento silencioso que já começa a incomodar. Mas é preciso ir além.

    Outro dia fiz um comentário no post baiano e penso em escrever um texto sobre isso e enviar via e-mail para meus amigos. Estava a falar sobre a concentração de poder político, econômico e de comunicação numa única região do país. Chamei a atenção para o período desde a extração do ouro com a nova configuração.

    Chamei atenção exatamente acerca da guerra fiscal, do federalismo brasileiro que beneficia o SE de maneira mais intensa e as outras regiões do país, que aparecem em seguida. A concentração desse pensamento elitista por estas plagas e a conivência das velhas oligarquias nordestinas com estas políticas, colaborando para este quadro perverso de desigualdade.

    Afirmei que ainda que a CF assegure em cláusula pétrea a questão do não separatismo do país, afirmei e afirmo que, com a visão de mundo de uma nova geração que chega, que tem buscado seus direitos, que têm ido além das informações do velho PIG, se não houver equilíbrio de forças, o caminho será a separação.

    Uma nova geração passará a pensar nisso. Os novos nordestinos não acolherão mais preconceito de qualquer matiz, basta ver a guerra que se tem em qualquer comentário. O caminho com esse tipo de coisa se não tiver um fim, será um novo NE que não se identifica em nada com o SE, assim como o SE, alguns, claro, já têm essa visão.

    Na medida em que vai se tendo uma consciência de que, uma elite de determinada região, com a conivência das elites locais, criam um país concentrador de riquezas e o que é pior, uma região com preeminência sobre outras, o Sul já fala sobre esta separação e o NE também falará.

    Se analisarmos os pontos históricos do país, Bahia, PE e RS sempre foram estados brigões. Bahia sempre defendeu, os portugueses não escolheram a Baia de Todos os Santos para construir uma cidade com todo o aparato político, burocrático e elitista na cidade de Salvador não foi pela beleza da Baía, mas por razões militares. Lá está o centro geográfico do país. No NE estava a garantia militar do país em curso.

    A História está cheia de relatos acerca da BA, que ora unia o país, foi assim na Independência, na preocupação de D. João chegar lá primeiro do que ir diretamente para o Rio, pois tinha receio de que os baianos apoiassem os franceses e o país fosse dividido. A Bahia que ora divide, ora tem sua força para unir. E o que dizer de PE? Pois é, o tamanho de PE hoje ocorre exatamente por buscar sua autonomia. E o que dizer do Sul ? A Revolta dos Farrapos dipensa comentários. Pois é, estados históricos que se levantam com a insatisfação. No caso do NE, começa-se a se levantar uma insatisfação contra a recorrência do preconceito. Com o histórico que se tem, se não houver equilíbrio de forças, o movimento do separatismo ganhará força por lá. Tenho certeza disso. Aliás, tenho convicção.

    Enfim, Eduardo, se quisermos um Brasil tal qual ele é hoje, é preciso que se fortaleça as forças da cidadania pedindo igualdade e justiça para todos os brasileiros e todas as regiões. Mas se nutrirmos isso, a falta de equilíbrio, o caminho, talvez não agora, mas haverá um momento que uma geração clamará por isto. E na minha opinião, se nada for feito, será legítima. Ou seja, é preferível um país que se torne uma América Espanhola, a um país com o sistema federativo que aí está, ou seja, que beneficia apenas uma região em detrimento das outras.

    • Concordo e acredito que seja a primeira analise equilibrada sobre o problema do separatismo que já li.

    • Cresci em SP e sempre me considerei como paulista apesar de não ser; morei em Recife e há 29 anos moro em Salvador. Tenho um filho nordestino e é a primeira analise sensata e equilibrada sobre o problema do separatismo que já li.

    • Tudo bem, mas separar em paisinhos menores cada um com sua elite e os menos poderosos dando duro, vai ser mais uma ilusão. Ou nossas minorias reprimidas se juntam numa maioria NUMERICAMENTE forte, ou continuaremos sob ordens dos que se acostumaram não só a mandar como a fazer os outros obedecerem. li há muito tempo num livro de Thomas Szasz, A Fabricação de Loucura, e aqui divido com vocês: não existe uma oposição entre coisas diferentes, umas certas, outras erradas. Mas pessoas que tem o poder de reprimir e pessoas que aceitam ser reprimidas. algumas, como bolsonaro, até agradecem…

  6. Eduardo,

    Só acrescento: APLAUSO!!! (em pé)!

    • Parabens, Edu, vc está ajudando a mostrar como tornar esse país mais civilizado. Não adianta ser uma potencia economica e ao mesmo tempo um exemplo de barbarismo.

      • É só o que espero, Marcelo. Colocar um tijolinho na democracia que este país ainda está construindo é tudo o que quero nesta vida.

        • Edu.
          Um tijoilinho é leve, leve, quando a gente vê o pôr do Sol do Porto da Barra, ou o nascer do Sol de Copacabana.
          E respira, e conta até três, ………… e se aquieta……….e se morna.
          O nosso “salto alto” é um pouco mais “baixo”, tá na altura da nossa consciência.
          Isso nos ajuda a enxergar o “sub sub”, os “menos altos”, os que se acham “mais altos”, os “altíssimos”.
          Os “blogs SUJOS” vão nos instigar a VER, a ficar putos, a CONSTRUIR………
          Destruir este chão que nós pisamos, NÃO.
          Os “cheirosos”, bem ………..os “cheirosos”: o que estarão eles a fazer agora em plena noite de domingo……………………………..?
          Dormem? Duvido.
          Conspiram?
          Cheiram?
          Fumam?
          Bebem?
          Peidam?
          Cagam?

          Ainda bem que estamos todos, os sujos, os diferenciados………. BEM ACORDADOS.

  7. Eduardo , seu diálogo com fernando de barros e silva , apesar de curto , foi primoroso. Merecia uma crônica .
    Quanto ao encontro , foi além do esperado.Deixou-me surpreso e satisfeito.

  8. Tinha tanta gente que fiquei horas por lá e não te vi!=) Só 600, né? Pois sim! Ainda acho que mil é um numero muito baixo, especialmente se contarmos que o evento durou mais de 6 horas e muita gente surgia do nada, ia embora… Foi de uma fluidez imensa! Espero conseguir postar as fotos e vídeos até segunda lá no blog, sabe como é, a mídia tem conexão via fibra ótica, eu tenho só a telefônica!=P

  9. Edu, o Estadão disse cerca de 1000. Não tentaram menosprezar o protesto. Pelo menos nesse vídeo.

    Aproveito para indicar meu novo post:

    A hipocrisia de Bolsonaro e a crítica seletiva da extrema-direita

    http://www.comunistas.spruz.com/pt/A-hipocrisia-de-Bolsonaro-e-a-crtica-seletiva-da-extrema-direita/blog.htm

  10. “Pessoais diferenciados.”
    Êta nóis!
    Isto é Brasil!
    Maravilha!
    Foi uma manifestação de lavar a alma.
    Tomara que tenha sido a Aurora paulista.
    abraço gaúcho.

  11. Nessa hora meu caro Eduardo, eu gostaria muito de saber por onde andava o Eduardo Suplicy, A Marta Suplicy e o Mercadante.
    Por quê será que a Cut não apareceu? Os Deputados Federais ,Estaduais e Vereadores do PT?
    Será que não foram porque alguns moram nesse bairro e querem que tudo continue como está, ou porque morrem de medo da elite paulista que infestam esse local.
    Quero barabenizar a você e demais participantes desse ato legitimo pelo pelo bem da cidadania.
    Um abraço.

    • Não tenho a menor dúvida de que o que o pessoal dos Jardins não quer para si, não ajuda a que aconteça a outrem, se é que você me entende…

  12. Eduardo, posições avançadas, avançadas, “próprias para Londres, Paris, Amsterdam” são as das pessoas diferenciadas como você! Tem metro até Buckingham Palace! Alias tem 4 metros bem perto de la!!! Esse povo de Higienopolis devia viajar mais a Europa para se tornar um pouquinho mais diferenciados. Obrigada pelas fotos e video!

  13. Eduardo, por quê você não falou para ele que depóis do primário vem o ginásio, o científico e a universidade??(Coisa antiga, não??) E que você conseguiu fazer quase todos, mas como é sujinho, teve que escolher!!

  14. Parabéns, Eduardo! Que você continue “primário”! Caso se tornasse “sofisticado” como esses “jornalistas de programa” (que me desculpem as verdadeiras…), deixaria de ler e compartilhar os teus textos, assim como muitos outros que também querem o bem estar da sociedade como um todo. Mais um exemplo de cidadania foi dado a essa “elite” tosca (e, pior, aos que se acham parte dela, que são muitos).

  15. Gostei em ve lo Edu…no meio do povão….parabens…quem sabe com maniifestaçoes como estas…sampa acorda…. a passa a votar em candidatos progressistas!!

  16. Como eu queria ter estado lá. Parabéns ao que foram e deram o seu recado.

  17. Edu,

    Não sou paulista, mas acho que você como o grande cidadão paulista que é merecia ser prefeito desta cidade. Então, fica a sugestão. O que vocês acham galera? Eduardo Guimarães para Prefeito de São Paulo, nas próximas eleições!!!!!!!!!!!!

    • Acho que, primeiro, eu precisa ser síndico do prédio…rs

      • Edu,

        Nem pensa nisto, vc contribui muito mais fora da política partidária. Sua contribuição é maior é a para o Brasil e precisamos que continue assim, haja vista o que aconteceu no sábado. Ou vc tem dúvida que isso é influência direta sua e outros tantos que como vc mantém blogs sujos e faz essa juventude pensar?
        Parabéns amigo e continua daí que continuamos daqui!

        Um forte abraço.

  18. Eduardo pena que moro no Rio, mas podes ter certeza que fiquei aqui torcendo para que vocês paulistas mostrem seu valor, dizendo a esse povo que há 14 anos mantém no poder esse tipo de governantes que governam para alguns que contribuiram para suas campanhas em vez de priorizarem o que o povo necessita e precisa.
    Mais uma vez vc está de parabéns.

  19. Edu,

    Obrigado pela descrição da manifestação, que conseguiu transmitir o descontamento de muitos paulistanos sobre a recente decisão do Metrô paulistano de não construir a nova estação da linha 6, na Avenida Angélica. Espera-se que seja levada em conta a declaração, diante da polêmica causada, do governador de que haverá a construção da citada estação.

    Agora além de “sujo”, você é “primário”!

    Abraços!

  20. Bem tem questões que não podemos ser primários.
    vejo comentário de que o PT ,Marta e etc etc etc não esteve no churrasco,falam até da Cut .
    Bem para se ter uma participação de partido ou central estas tem que ser procurada e pelo que sei não foram .
    O movimento tem que ter um comando e estando no churrasco ,tudo que não tinha era comando ou organização .
    foi lindo sim ,porem as entidades citadas não poderia encampar o movimento por varias razões .
    Oportunismo .
    mudar o sentido do movimento que passaria de algo espontâneo e força da internet ,para algo orquestrado por partidos ou centrais em manifestação puramente política e preconceituosa quanto a luta de classes e para um partido isto é crime .
    Usar participantes sem que estes tenham um aviso antecipado da participação do partido ,dando a estes a escolha de participar ou não .
    E comunicar que esteve no movimento o Vereador e presidente do PT o Donato que acompanhou o movimento e poderia caso necessário dar ajuda quanto a segurança .
    Como falei Donato não se apresentou porque não tinha liderança no movimento ,eu apresentei ele para o Edu .
    Acho que a sociedade esta aprendendo a cobrar sem que para isto seja necessário que um partido encabece ou uma central ,isto que fez deste movimento um ato lindo .

  21. Parabéns, meu povo diferenciado, estou orgulhoso de vocês. Isto é para calar a boca daqueles que acham que os brasileiros são acomodados, alienados e teem sangue de barata. Acomodados são aqueles 3.500 bairristas de Higienópolis, aliás este nome de bairro é bem sugestivo, vocês não acham ?

  22. Reportagem primaria. Doação da Embratel.
    Crime de lesa patria cometido pelos tucanos, vendilhões da pátria:http://www.istoe.com.br/reportagens/137133_BRASIL+DEVASSADO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage
    Brasil devassado
    Sem um satélite próprio, o País depende de estrangeiros para proteger suas riquezas, fluir informações militares e até controlar o tráfego aéreo

    “Ao contrário das principais nações desenvolvidas e emergentes do mundo, o Brasil não tem controle nem ao menos sobre um dos quase mil satélites que estão em órbita no mundo hoje. A Índia, por exemplo, tem seis deles dedicados a ela e a China, outros 60. Hoje, todas as informações brasileiras que trafegam pelo espaço – sejam elas militares, governamentais ou de empresas privadas nacionais – passam por satélites privados, controlados por uma única empresa, a Star One, do bilionário mexicano Carlos Slim. Na prática, o Brasil é um simples locador de um retransmissor espacial que tem como função principal gerar lucros para o seu dono. Em uma situação de conflito, seja ele militar ou econômico, em última instância o locador tem o poder de simplesmente cortar o sinal do satélite, fazendo com que todo o moderno aparato militar que o País pretende adquirir se torne completamente inútil.

    Desde que o Brasil perdeu o controle sobre seus satélites, com a privatização da Embratel em 1998, nenhum caso semelhante ocorreu.”

  23. Eis, pois, um exemplo do porquê a elite política paulista insiste em manter a população no século XIX.

    Tem cabimento essa discussão?

    Transporte público, como o próprio nome diz, tem a ver com os interesses da coletividade e não com os interesses de uma minoria elitizada, preconceituosa, atrasada e que se acha dona de São Paulo.

    Ou seja, a discussão tem a cara dos demo/tucanos.

    Só mesmo em São Paulo.

    E é essa gente, com essa mentalidade, que quer govrnar o país.

    Tenha dó.

  24. Caro Eduardo,

    Vendo as imagens dá para notar a presença de um número bem acima das 600 pessoas estimadas pelo policial. Agora, é emocionante a gente ver um cidadão mobilizar a população para uma causa justa. Foi uma sucesso, parabéns pela iniciativa.

  25. Parabéns Edu!!! Parabéns povo de São Paulo!
    Não se deixe envergar diante da opressão de uma minoria excludente e egoísta!
    Lindo ato democrático deste povo!!! O G1 publicou matéria sobre o ato!!!

  26. Uma verdadeira aula de democracia alegre…Viva a internet!

  27. Também sou diferenciado! Só não subi a serra porque estava por aqui, “diferenciando-me”!

  28. Brava gente DIFERENCIADA, fiquei imensamente satisfeita estava lindo e maravilhoso, parabéns a todos e todas que estiveram lá e bradaram por cidadania, foi muito lindo e emocionante ver a juventude neste ato civilizado e democrático, viva a juventude do Brasil de ontem de hoje e de sempre. Fiquei com uma pontinha de inveja por não poder estar lá no meio, mas enfim fiquei imensamente feliz que o protesto saiu e foi maravilhoso valeu Edu, parabéns a todos e todas.

  29. Muito bom Eduardo!!
    Você tá ficando com a língua cada vez mais afiada diante dos reporteres elitistas.
    Mas estranha-me nenhum figurão do PT ter aparecido. Afinal o PT não é a grande força oposicionista do governo Tucano?
    Será que PT já está com medo da elite?

  30. 1) Parabéns aos manifestantes, Uma pena que, como morador em MG, não pude participar
    2) Idem para o Edu e Mariana.
    3) Temos que iniciar um movimento a fim de que o Ministério das Comunicações desregulamenture o funcionamento de Tvs e Rádios Comunitárias. Chega desta imprensa comandada por poucas famílias e seus jornalistas amestrados. Deixem o povo traçar o seus destino,

  31. Em tempo: desregulamente ,,.
    traçar o seu.

  32. Em tempo: desregulamente ,,,
    traçar o seu

  33. A manifestação foi linda, nunca esperava ver algo tão lindo em uma cidade tão reacionária como a sua, fico feliz com a fantástica surpresa; todavia, permita-me te passar uma puxão de orelhas, que vem de alguém que respeita bastante você : fiquei revoltado com o cartaz que você deu a uma babaca como Fernando Barros e Silva. Para ser sincero, não sei se tive mais raiva dele ou da sua atitude! Eduardo, REACIONÁRIO A GENTE TEM QUE TRATAR PISANDO, SENÃO ELES PISARÃO A GENTE! Pode parecer meio extrema essa minha atitude, mas saiba que sei do que estou falando. E é assim que sempre agi. E para piorar a minha revolta, quando aquele pilantra te chama de primário, você não dá a resposta que ele merecia : Primário é você, primárias e trogloditescas são as suas posições que refletem uma visão de mundo centrada no egoísmo, na exclusão e na simplismo histórico. Você jamais poderia dizer que as posições dele servem para Londres ou Amsterdam, simplelmente porque não servem. Vá a Londres, Amsterdam ou Bruxelas e veja se alguém lá vai defender que não se puna monstros torturadores que, a serviço de um Governo ilegal, cometeram crimes atrozes. Ou se algum europeu não chamará de imbecil uma imprensa que preocupa-se mais com os títulos escolares de um presidente do que com sua administração, a qual, por mais exitosa que seja(êxito numericamente comprovado)é refutada por idiotas como Barros e Silva de forma esquisofrênica, os quais, tal qual “velhas ranzinzas”preferem negar a realidade a questionar seus preconceitos atávicos. Nada mais primário, provinciano e medíocre. Assim, novamente te aconselho sobre o enorme erro de sua estratégia(a qual já critiquei anteriormente, quando relatou um nefasto encontro seu com o verme Bóris cazoy)ao lidar com essa gente. Espero que, a despeito de concordar ou não comigo, tome minha opinião como o reflexo de um amigo que te apóia. Como também desejo que reflita um pouco sobre minhas palavras, as quais podem te fazer bater primeiro em que vem para agredir você.

  34. Eduardo, se foi mágico pra você cinquentão, imagine pra mim setentão. Pense na convivência próxima com alegrias no passado pressentidas e lá mesmo esmagadas. Obrigado humanas minorias que se unem em maiorias…
    P.S. Eles querem lhe condenar pelo seu frescor primário que dá inveja a reincidentes iludidos. e, pelo tanto que se auto mutilaram… mal pagos.

  35. A iniciativa e a manifestação, o acontecimento é elogiável. Isso deve ser extendido à grande massa-trabalhadora-de-salário-mínimo, que faz uso diário do metrô, vai até onde a linha termina, e ainda deve pegar um trem igualmente lotado, par…a chegar à sua casa no extremo da periferia, após 12hs de trabalho em lugares contaminados por patrões racistas, preconceituosos, delinquentes iletrados, embrutecidos na$ arte$ do$ lucro$, consolidada ao longo de séculos de capitalismo, cada vez mais especializado em aniquilar; que não lhes dão tempo para pensar em seus direitos cidadãos; em ter acesso à informação adequada; que os enchem de medo; que estimulam sua ignorância ao cubo… a esses desconhecedores das redes do mundo virtual, aos que lêem livros-sucata ou não sabem ler, como é o caso de minha vizinha A. de mais de 30 anos, oriunda de MG, que vive no mesmo cortiço que nós, aqui no centrão de Sampa, onde, alugamos a alto preço, um local sub-locado, a um lutador de Muay Thai que, fora dos ringues, e no andar de cima de nosso quarto, espanca a mulher. Nem ele nem A. foram, e nem souberam, do churrasco, por razões diferentes: ela é impedida de usar internet pq é semi-analfabeta, o lutador, professor de educação física, egresso de uma faculdade de qualidade duvidosa, tem internet, mas, além de violento e mimado pela mãe, a única coisa que sabe fazer é postar inutilidades. Essa desigualdade é a que urge ser combatida, chamarão de idealista e, como disse-me, outro dia, outro subalterno local: “é a vida” mas a vida não é estática, é mutável e são outras as causas “obscuras” que geram o” é a vida” do senso-comum… não me venham pois, com essa retórica para justificar os crimes que aprendemos a cometer e aceitar. São necessários procedimentos que cheguem realmente a todos se quisermos um outro mundo possível.

  36. Hj N., uma trabalhadora que serve café, na multinacional onde ensino inglês, contava-me que mudou-se de Perus, extremo da zona sudoeste, para o extremo da Leste. acorda às 3h e pega 3 trens para chegar às 6h ao serviço onde trabalha até 10h diárias. Essa senhora, logicamente, n sabia do Churrascão.

  37. Grudei os olhos ontem no CQC pra flagrar o Edu, sem sucesso.
    Acho que na hora do discurso o repórter estava saboreando o churrasqueto diferenciado.
    Mas tava lindo, esse bem-humorado protesto!
    Pena que enquanto morei em Sampa, não havia nada assim (e se houvesse eu teria que curtir à distância,
    pois vendia imóveis para a massa cheirosa).
    A propósito: Higienópolis não é tudo isso, o mais chique é morar nos Jardins – Europa, principalmente.

Trackbacks

  1. Tijolaço – O Blog do Brizola Neto » Blog Archive » Bom humor, a arma dos diferenciados “primários”
  2. Crônica “primária” de um Churrascão diferenciado « Blog do EASON
  3. FHC, o Facebook e a “coalizão de vontades” | Viomundo - O que você não vê na mídia
  4. Azenha fez um texto pra distribuir na praça | Blog do Rovai
  5. Azenha abre o debate da política na blogosfera – [50 mm]
  6. Não espere que o governo lute em seu lugar | Blog da Cidadania
  7. Não espere que o governo lute em seu lugar « Blog do EASON
  8. Machões paulistanos fazem “troca-troca” na Câmara | Blog da Cidadania
  9. Ato Contra Corrupção da Mídia: era a divulgação, estúpidos! | Blog da Cidadania
  10. O que marcou a política em 2011 | Blog da Cidadania
  11. Veja o que a Veja é | SCOMBROS

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.