A hora do espanto

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

Somando fatos, pode-se concluir que a revista Veja e seus rottweilers travestidos de “colunistas” e “blogueiros” abusam da sorte. Pelo que já vazou sobre o conjunto da obra da Operação Monte Carlo, os teleguiados de Roberto Civita e o próprio estão metidos até o pescoço no esquema de Carlos Cachoeira.

Quando eclodiu o escândalo, logo que caiu a máscara de probidade do então senador pelo DEM de Goiás, Demóstenes Torres, vazou uma informação que a Veja e o resto da grande mídia insistiram em ignorar, que havia mais de 200 telefonemas trocados entre o editor Policarpo Júnior e a quadrilha de Cachoeira, sobretudo com o próprio.

Mas não fica por aí. Como se viu recentemente, a Polícia Federal não se limitou a grampear telefones. Fez, também, filmagens, tirou fotos, seguiu os envolvidos no escândalo.

Até o momento, conversas isoladas ao telefone, envolvendo vários atores, têm sido garimpadas no que já vazou das investigações, mas há muito mais. Não é segredo para muitos que o que já vazou é menos da metade do que foi apurado. O que está oculto é considerado um segredo de Estado.

Por exemplo: será que ninguém notou que ainda não vazaram os grampos em que Policarpo foi flagrado? Nem uma conversa inocente sobre o clima ou sobre futebol. Ou seja: essas conversas flagradas pela PF, pelo visto, são dinamite pura.

Outra evidência da gravidade das relações da Veja com Cachoeira e seu bando reside no fato de que nem o pouco que já vazou apareceu em um só veículo da grande imprensa, muito menos em jornais e telejornais, com exceção da Record.

Enquanto o PIG diz que as relações eram “institucionais”, que jornalista ter contato com bandidos seria “normal”, esconde o que todos que têm acesso à internet já sabem.

Já imaginaram se aparecesse no Jornal Nacional uma gravação em que a quadrilha discorre sobre em que seção da Veja Cachoeira deve “mandar” que Policarpo publique matéria para atingir uma “associação” que estaria incomodando os criminosos ou na qual um dos bandidos diz ao outro onde deve se reunir com o editor da revista?

Diante do segredo extremo sobre a parte ainda oculta do inquérito, pode-se compreender declarações recentíssimas do relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha(PT-MG), sobre a cada vez mais provável convocação ao menos de Policarpo. Entre quinta e sexta-feira, Cunha falou várias vezes sobre o assunto.

Falou sobre a convocação de Policarpo ao jornalista da Folha Fernando Rodrigues (sem citar especificamente o jornalista da Veja) e ao Jornal da Record (citando Policarpo). Abaixo, os vídeos.

Odair Cunha fala à Folha sobre Veja/Cachoeira
 

Odair Cunha fala ao Jornal da Record sobre Veja/Cachoeira

Mas não ficou por aí. Na última sexta-feira, o presidente do PT, Rui Falcão, declarou que depois de deflagrar a cruzada contra o sistema financeiro privado e a cobrança de juros elevados no País, o governo da presidente Dilma Rousseff poderá colocar em discussão o polêmico tema do marco regulatório da comunicação.

Para coroar o conjunto de indícios de que parte da classe política sabe muito mais sobre o envolvimento da imprensa com o crime organizado do que pode supor nossa vã filosofia, não vamos nos esquecer do que a mídia mesma vem alardeando, que o ex-presidente Lula seria um dos grandes entusiastas da CPI do Cachoeira por julgar que “pega a oposição”.

Com base em fontes mais do que bem informadas, posso garantir que não é só a oposição que a CPI pega. Na verdade, se a arrogância dos impérios de mídia e da oposição que eles protegem não fosse tão grande, saberiam que, primeiro, Lula não é um tolinho que estimula uma investigação e depois se arrepende, como andam dizendo. E, segundo, que quando o RELATOR da Comissão fala em convocar ao menos um jornalista, tem bons motivos para isso.

Por alguma razão, aliás, lembrei-me da entrevista que o ator global José de Abreu concedeu a este blog no fim do ano passado, na qual relatou que Roberto Civita estaria decidido a derrubar o governo Dilma. Será que haveria alguma coisa nesse sentido nas conversas entre o “Poli” e a quadrilha de Cachoeira guardadas a sete chaves?

Tudo, na vida, tem sua hora. A verdade não é exceção. Que a Veja e seus defensores na mídia e entre a classe política não se enganem, a hora da verdade chegará para setores da imprensa e suas relações com o crime organizado. A sociedade saberá as razões para o ataque interminável a governos que mudaram o país. Será a hora do espanto.

Tags: , , , , , , , ,

149 Comentário

  1. Rapaz, se fosse nos EUA, o FBI estacionaria vários ônibus em frente à sede desses jornais, revistas e TVs e levaria centenas em cana, com direito a algemas nos pulsos e tornozelos.

    Fizeram isso, anos atrás, com agentes da Bolsa de Valores que estavam sonegando impostos.

    • Locatelli, reitero, NÃO se iluda

      Aqui, por enquanto, do que ME DEIXARAM ver (sim, sou um simples cidadão que nestas horas tem a visão turvada pelos segredos do Corporativismo tb ..e que no máximo lhe é permitido torcer)

      ..do que me deixaram ver trata-se de guerra de QUADRILHA

      A coisa é assim, uma quadrilha descobre coisa de outra quadrilha e se vale de uma terceira quadrilha, no caso da mídia, pra denunciar a primeira quadrilha (1)

      Infelizmente, pela qualidade das Instituições envolvidas, NADA, ..repito, NADA, nadica de nada me garante que a coisa vai ser pra valer, ou se as praticas políticas serão purgadas (tipo como quando nos iludiram com a queda de Collor)

      PS – agooora ..bom reiterar, do que até agora vi, grave mesmo, gravíssimo, de novidade, teria sido o TAL GRAMPO fictício que envolveria um poderoso morcegão do STF e um senador ..aqui sim, o atrevimento, se se confirmar, alcançou ares nunca dantes imaginados

      (1) pra ilustrar ..um caso …lembro que em inícios da década de 80, paralelo a abertura, o BRASIL viria a conhecer um “dos maiores” escândalos até então noticiados ..tratava-se da LTB e das fraudes havidas para a confecção de listas telefônicas, lembra? ..desbancado o fornecedor tradicional,assumiria em seu lugar um dos “paladinos” da denuncia, a OESP gráfica ..sei sei, ali, pelo que deduzi e conclui anos depois, tb não existiu nada de “tudo pela pátria” ..ao contrário, foi meio que do tipo, “se farinha pouca, meu irão primeiro”

      abrá e bom domingo procês

    • Mas antes de se colocar nesses mafiosos da imprensa, seria necessário colocar essas algemas num certo juiz, aquele mesmo juiz que permite facilidades aos poderosos, aquele mesmo juiz que concede HCs recordes, aquele mesmo juiz que votou pelas cotas e argumentou contra elas, por sinal este certo juiz tem alguma coisa a ver com uma faculdade no interior do Mato Grosso e com um instituto em Brasília.

      Alguém se lembra do nome desse juiz?

  2. A Tag:#VejaPodreNoAr foi fraudada!!!

    um Marco Regulatório pode prever que empresas sejam duramente sancionadas por fraudes como essa. Deve ser tipificado como crime produzir informações falsas em serviços web.

    http://midiacrucis.wordpress.com/2012/05/03/brazil-twitter-manipulation-of-statistics-or-censorship/

  3. A hora do espanto é quando a direita se olha no espelho e constata o fato de que ela é disforme,monstruosa,horripilante.

  4. E não se fala mais da roubalheira estratosférica, do golpe do século contra o patrimônio do povo brasileiro, a desembestada, desenfreada Privataria Tucana. A quadrilha que doou as gigantescas estatais está incólume, na moita e seus representantes se comportam como “fichas limpas” prontinhos para tentarem reassumir os postos chaves da nação por meio do voto, fraudado ou não. Este post foi um dos mais bem escritos que já li. “Que a Veja e seus defensores na mídia e entre a classe política não se enganem, a hora da verdade chegará para setores da imprensa e suas relações com o crime organizado. A sociedade saberá as razões para o ataque interminável a governos que mudaram o país. Será a hora do espanto.” Perfeito! Já chegou esta hora, o tempo de fato não existe a não ser na nossa concepção limitada, é apenas um transcurso. Muita coisa mudou neste país, da água para o vinho e é o povo desta nação quem determinará o seu próprio destino. Fosse a PF totalmente corrompida e a mando do serra, como se fala, não viria à tona este golpe contra a democracia e o governo livremente eleito. Eles, os golpistas e ladrões às carradas do que pertence ao povo não escaparão, da mesma forma que os torturadores assassinos fugirão até a cova. A consciência não lhes dará sossego. Todos os que defraudaram a nação e o seu povo terão os seus crimes trazidos à luz, na hora da verdade, do espanto.
    Hoje, domingo, o UOL – Freezer traz uma “manchete” típica de quem não se esquece de priorizar as relações carnais com o tucanato paulista, relações que possibilitaram ao grupo da barão de limeira assenhorear-se do noticiário da TV Cultura, um patrimõnio público e do povo paulista. Diz o mote partidário: “Com Crise Política e CPI, Governo Abre os Cofres aos Aliados”. Ora, sra. Folha e seus pitbulls, crise política de quem? CPI contra quem/? Demóstenes, Cachoeira, Murdoch, Perillo, Serra, Aécio, Gilmar e toda a corriola golpista não serão os investigados? O PIG mentiroso e venal se julga imortal, tanto quanto o Merval na ABL. Azar deles, pois cairão um após o outro. Somente a verdade é eterna.

  5. Olha, eu li aqui com enorme riqueza de detalhes sobre como o repórter da Veja tentou invadir o quarto do José Dirceu, como a camareira se recusou a deixá-lo entrar e tal. Agora que sabemos que foi o Cachoeira que conseguiu as imagens, será que vc vai se retratar?? Até agora, só quem ficou mal nessa história toda foi a sua credibilidade, mas não é nada não… vc já não tinha nenhuma.

    • Pìor do que ser canalha, é ser um canalha burro. Com toda informação disponível você não entendeu nada.

Trackbacks

  1. Matéria Incógnita » Revista Veja volta ao topo dos TT’s do Twitter com #VejaPodreNoAr
  2. Praia de Xangri-Lá » Blog Archive » Veja, ao vivo, no canal do Congresso, “A hora do espanto”

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.